quinta-feira, julho 16

Sermão

http://www.michelealassio.com



"Pinta-se o amor sempre menino...Usar da razão e amar são duas coisas que não se juntam. A alma de um menino que vem a ser ? Uma vontade com afectos e um entendimento sem uso. Tal é o amor vulgar. Tudo conquista o amor quando conquista uma alma. Porém o primeiro rendido é o entendimento. Ninguém teve a vontade febriciante que não tivesse o entendimento frenético. O amor deixará de variar se for firme. Mas não deixará de tresvariar se é amor. Nunca o fogo abrasou a vontade que o fumo não cegasse o entendimento. Nunca houve enfermidade no coração que não houvesse fraqueza no juízo. ... Quem ama porque conhece- é amante. Quem ama porque ignora- é néscio. Assim como a ignorância na ofensa diminui o delito - assim no amor diminui o merecimento. Quem ignorando ofendeu - em rigor não é delinquente. Quem ignorando amou - em rigor não é amante."

Padre António Vieira

10 comentários:

Isabel José António disse...

OLá Amiga Anamar,

Vim agradecer a sua passagem num dos nossos cantinho e vejo este texto, tão ao estilo de Fernando Pessoa (o Ser e o Não-Ser). Parabéns.

Talvez pudesse dizer que o amor sem a razão é cego (aquele que é cantado na maioria dos fados antigos) e a razão sem amor torna-se fria e por vezes impiedosa.

O equilíbro entre os dois é a tarefa de uma vida inteira e que talvez sobre para a seguinte (se tal existir).

Talvez devessemos começar por saber o que é o amor? Talvez devessemos saber como começou a vida e o que é ela, de facto?

Será o amor aquele sentimento, só atribuído aos apaixonados? Ou será uma energia positiva tão forte como o princípio de TUDO?

Um grande abraço para si

José António

Nilson Barcelli disse...

Palavras sábias, as tuas.
Voltaste a publicar e eu nem reparei...
Beijo.

Canto da Boca disse...

Tão atual! Tão necessário refletir sobre o amor que às vezes um suspiro fundo acompanha o ser tão humano que sou, que somos!

Mais descansada?
Um beijo e obrigada pela visita, ainda que rápida!!

;)

Pedrasnuas disse...

ENTRE SER AMANTE E NÉSCIO...PREFIRO SER AMANTE...

BOA VIAGEM

BEIJO

KrystalDiVerso disse...

Amar!... O néscio, por natureza, ama com todas as suas forças, no entanto não tem uma correspondente consciência disso; ama e pronto!... Fixa-se naquele alvo de adoração, de paixão assolapada na caverna escura de seu intelecto limitado e, não se apercebendo da realidade que o rodeia, presta-se a uma total vassalagem e prostação submissa!... Normalmente, no primeiro contacto com o "objecto" de sua paixão, que não deixa de ser Amor, não diz coisa com coisa e age como um elefante nervoso bem num abbarrotado centro de uma loja muito pequena de porcelana!... E isso é admirável!
O Amante, mesmo que hipnotizado pelo "objecto, tem plena consciência do seu acto, estuda proporções de prazer e tem prazer nisso, ainda que, sob o efeito de hipnose subentendida, não tenha em conta possíveis riscos sérios e de sabor demasiado amargo!... Admirávelmente, até desses mais que certos sabores, parece ter, tanto plena consciência quanto inconsciência!
O(a) amante é uma ocupação dos tempos livres quando se está demasiado(a) ocupado em livrar-se daquel fardo enfadônho que não ama nem deixa amar, não F..e, nem deixa F...r!


Escolha entre... beijos e abraços



***Quando voltar, não esqueça de avisar! Há sempre um lugar em um dos vinte possíveis dos caminhos de KrystalDiVerso. Tem é que ter a certeza desse regresso;)

Apenas eu disse...

olá.)

Amar é simples.
usar as palavras é que o tornam complicado.
querer estar junto, perder a noção da razão e não ter limites, é estar no limite da loucura do sentir... depois á volta tudo vira paisagem e esfuma-se a razão...

beijos

Mª Dolores Marques disse...

Aguarado pelo novo amanhecer...
Bjs

LBardo disse...

"Amar é cansar-se de estar só. É uma cobardia [...]", Bernardo Soares



E um presente para ti, sobre o meu vinho:

"Bocas roxas de vinho,
Testas brancas sob rosas,
Nus, brancos antebraços
Deixados sobre a mesa;
Tal seja, Lídia, o quadro
Em que fiquemos, mudos, Eternamente inscritos
Na consciência dos deuses.
Antes isto que a vida
Como os homens a vivem
Cheia da negra poeira
Que erguem das estradas.
Só os deuses socorrem
Com seu exemplo aqueles
Que nada mais pretendem
Que ir no rio das coisas."

Ricardo Reis


bj.do meu parapeito

mateo disse...

Bom dia, Ana(do)Mar!
O Amor pela razão de um padre e, também, António.
Mas... prefiro sempre a paixão do soneto do Luís... Camões!
Beijo.

Teresa Durães disse...

ando a tentar apreciar o Padre António Vieira... ainda não consegui