segunda-feira, novembro 9

Janela (in)discreta



Ruas entoadas

em calçadas de

paralelepípedos

hologramas de visões

ensaiadas,

previstas

em permanentes

paralogismos,

numa mensagem

em

hipótese,

escadas

até ao páramo.




Noites coloridas

em sons

e tons

de jazz ao vivo.




Co(r)pos t(r)ocados

de cristal

em carne viva

ardente

puro mel,

semente.




Imprudente a imaginação.


Pudico o sorriso.




Improviso um beijo no teu olhar de partenomancia.




A exina nos dedos.

E as borboletas em fuga.



Sacramental este amor sem silogismo.


17 comentários:

gabriela rocha martins disse...

"imprudente a imaginação" - acaso há imaginações prudentes? diz.me onde.......



.
um beijo

Maria disse...

Gostei desta janela, tão especial...

Beijos com saudades

LBardo disse...

A minha janela abre-se, regresso, incomodado, ancoro-me nas tuas palavras e o jazz da noite faz-se pele.



bj do parapeito

Carla disse...

um espaço...um amor...uma janela para a vida
beijo

clic disse...

Quase tudo, nas tuas palavras!... :)

Vieira Calado disse...

"Co(r)pos t(r)ocados..."

É como eu ando sempre, amiga! (rs)

Beijinho

Nitrox disse...

O meu olhar ficou preso naquele pedaço de calçada que me lembrou a defunta praça do Infante em Lagos, toda ela constituída pelas ondas que vinham rebentar aos pés de D. Henrique, hoje destruída para dar lugar a mais uns repuxos com água a deslizar por todos os lados. Assim se assassina mais um ícone da nossa cultura.

MZ disse...

Todos temos uma "Janela (in) discreta...


beijinhos AnaMar...

tulipa disse...

Maravilhoso poema.
Fiquei deliciada com a sua escrita.
Obrigado pela partilha.

Coincidência ou não, também tenho uma janela no meu último post, quer vir espreitar?

Quer saber mais sobre esta história?
...«Anna não está doente, mas bem poderia estar. Aos treze anos e idade já passou por várias operações, transfusões e injecções para ajudar a irmã, Kate, que sofre de leucemia. Anna nasceu com esta finalidade, disseram-lhe os pais, e é por isso que eles a amam ainda mais. Mas agora ela não pode deixar de se questionar sobre como seria a vida dela se não estivesse presa à irmã... e toma uma decisão que, para a maioria das pessoas da sua idade, seria quase impensável.»

Baila sem peso disse...

Sons e tons, cores e copos
Corpos trocados em semente...
todos devemos estar loucos
mas quem disser diferente
é porque naturalmente
mente, mente...

Beijo em cristal sorriso...
de improviso :)

Filoxera disse...

Muito também. Diria, também, sacramental.

(reparaste na etiqueta do pots que publiquei? Diz "minhas histórias"- não é uma cena que eu tenha protagonizado, por muito que eu gostasse de ser violinista)

Um beijo.

KrystalDiVerso disse...

Sonho feito de luz que se escoa na retina de olhos que se movimentam numa dança etéria!... Tudo é luz, néon de arco-íris desenhando mensagens de desejo em rastos quentes de imaginação, filtrada na metamorfose multicolor de um caleidoscópio em Alma Humana!... As Virgens passam de cor em cor, de luz em luz, de mão em mão... de desejo em desejo... que voa de... "virgem em virgem"!... Porém, nada de Admirável, resulta desta "perseguição"... dessa insaciável procura!



Escolha entre... beijos e abraços

uminuto disse...

indiscreta, mas extremamente bela
um beijo

pin gente disse...

a imaginação escancara as janelas da prudência
quem sabe uma imagem através de um véu de ilusão
quem sabe uma ilusão traspassada por uma bela imagem
quem sabe um beijo indiscreto e improvisado

Lilá(s) disse...

Maravilhosa janela aberta!
Bjs

José Rui Fernandes disse...

... da janela fluente brotam palavras por dizer!

Anónimo disse...

... a imaginação só deverá ser prudente, se para la da cortina a visao for inócuo.
Da minha janela soam sempre sinfonias prudentes que ecoam num singelo e profundo cristalizar de notas e olhares imprevistos, ocultos, puros, sem medo de olhar sempre sem um ensasio, mas com tempo de pausa.

"rascunhos"