terça-feira, julho 27

Ilha



De joelhos


rio


dAs


l

á

g

r

i

m

a

s


(res)guardadas dos dias de tempestade

em que as letras são mais pequenas para as palavras não perderem o encanto

da seriedade dos momentos.


Albergo mares de desejo

transporto sonhos

esqueço memórias

e deixo

que a vida me leve


leve

quebranto numa paz que invento


leve acordar sem sono.


Deixo que a vida me leve


ao sabor do destino que já não sei


deixo que a vida

a musica

a paixão (me) leve


por vezes peso de mim (s)em mim


deixo que a vida me leve

ou a morte. Já não sei bem.


23 comentários:

Marta disse...

Que seja a vida...
Nessa (re)descoberta do destino...
Que haja bom vento e o mar te escute sempre....
Lindo....mas triste....
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

AC disse...

O fervilhar de anseios, qual ilha num mar inóspito, o lançar de escadas em busca da rota para a intensidade das coisas...
Vindo lá do fundo.

Beijo

Multiolhares disse...

Que seja a vida a levar-te, não te deixes nunca estando viva morres aos poucos.
Bj

Canto da Boca disse...

Ando assim, ao sabor do vento. Que ele me (e)leve! Nos seja leve, enfim!

Beijos, e grata pelo seu tao generoso comentário acerca do meu poeminha! Obrigada, viu?

;)

Maria disse...

Melhor deixares que a vida te leve. LEVE. :)))

Beijos.....

Mar Arável disse...

Não permitas que te conduzam

a vida conquista-se

mesmo a comer pedras

Bjs

Lupussignatus disse...

a levada

dos

sentidos



*abraço*

João Norte disse...

Muito bonito.

Voltarei.

A.S. disse...

Tuas palavras são uma melodia... suave como o resvalar dos dedos, doces como o veludo dos teus lábios!

BeijOOO
AL

Pedrasnuas disse...

VIVA!!!

O TEU POEMA LEMBROU-ME A TEMPESTADE QUE ASSOLOU A ILHA...E QUANTAS SE PASSAM NO INTERIOR DE CADA UM DE NÓS...BEM SOFRIDAS

BEIJO

Graça Pires disse...

Fazer do corpo uma ilha e deixar a vida "ao sabor do destino".
Um belo poema.
Beijos.

Anónimo disse...

Momentos de seriedade .
Numa vida a viver .

"rascunhos"

DiMagem disse...

Não se preocupe, isso passa!... Depois... bem, depois... afinal, todos morremos... devagarinho e em silêncio, como a vida que passa!... Sempre em silêncio... e devagarinho!






Escolha entre... beijos e abraços

poetaeusou . . . disse...

*
na ilha da vida,
as marés de paixão
musicam destinos !
,
conchinhas, deixo,
,
*

Anónimo disse...

Transportar sonhos é transportar vida.
Sabia?

Filoxera disse...

Nunca sabemos...
Mas é de nós que deve vir o rumo. Da nossa vontade, da nossa determinação.
Um beijo.

. intemporal . disse...

.

. simples.mente deixo . porque da vida sou simples eixo . na ultra.passagem da rota . corpórea até lá .

.

. bel.íssimo . os meus parabéns .

.

. um bom fim.de.semana .

.

. um beijo meu .

.

. na amizade de sempre .

.

. paulo .

.

BRANCAMAR disse...

Anamar,

Goto da imagem e gosto de ilhas, mas como disse o poeta inglês John Donne "Nenhum homem é uma ilha...", por isso tudo se conquista, ainda que por vezes também seja a vida que nos empurra e nos marca, mas há sempre os momentos em que nos deixamos levar e isso nem sempre é mau se a maré está alta, se nos apraz, por vezes é um doce flutuar na tranquilidade do momento.
Beijos
Branca

manuela baptista disse...

não sei bem

mas que a vida me leve
assim!

da ilha, na ilha, pela ilha

um abraço

Manuela

Anónimo disse...

Hoje é Verão para todos nós, mas logo está a Outono a chegar e com as estações do Ano abrimos uns ciclos e fechamos outros. Assim, deixa a Vida correr segundo o desígnio da natureza e espera para veres o que ela reserva para ti.
Nunca te esqueças que amanhã é um novo dia...

Com amizade

Beijinhos

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...traigo
sangre
de
la
tarde
herida
en
la
mano
y
una
vela
de
mi
corazón
para
invitarte
y
darte
este
alma
que
viene
para
compartir
contigo
tu
bello
blog
con
un
ramillete
de
oro
y
claveles
dentro...


desde mis
HORAS ROTAS
Y AULA DE PAZ


TE SIGO TU BLOG




CON saludos de la luna al
reflejarse en el mar de la
poesía...


AFECTUOSAMENTE
ANAMAR

ESPERO SEAN DE VUESTRO AGRADO EL POST POETIZADO DE CACHORRO, FANTASMA DE LA OPERA, BLADE RUUNER Y CHOCOLATE.

José
Ramón...

sérgio figueiredo disse...

Enquanto as letras, mesmo que pequenas, iluminarem as tuas palavras, deixa que a vida as saboreie e só ela, quando cansada, saberá da partida.

bj...nho

Fa menor disse...

Por vezes é bom deixar-se levar na vida.
mas quase sempre é melhor tomar-lhe as rédeas.

Beijinhos