sábado, setembro 11

Água na boca




Rodopia-me


nos teus braços invencíveis


olhar cálido de


florestas virgens


as (minhas)


mãos de ti


em temperanças


esperanças


de violência e paixão


musica



e


s


q


u


á


l


i


d


a



miragem



espesso o sangue


latejante


fervente



angústia num manjar de deuses



passos


T.a.n.g.o.


lamento


tento


tanto


viver muito


na morte que se atreve


rápida.

15 comentários:

Canto da Boca disse...

Essa "morte que se atreve rápida", anuncia sempre outro começo, um sem fim de rodopios, ao som da música da paixão...

argumentonio disse...

é a vida que é rápida, por certo em demasia sempre e em especial quando há alma e água na boca para um destino a cumprir

;_)))

A Magia da Noite disse...

um sôfrego lamento.

tulipa disse...

Bela poesia onde entra a palavra "Tango" - dança sensual de que gosto muito.

Os sentimentos expressos desta forma são mais intensos, têm outro paladar, sabor a paixão.

Boa semana.
Beijos

Lilá(s) disse...

O poema está soberbo mas a imagem transmite-me também algo maravilhoso.
Beijos

lupussignatus disse...

a sensual

an.dança

das

palavras



*uma óptima
semana*

manuela baptista disse...

que se atreva então
a morte

rápida

como os passos de um tango

.

gostei, AnaMar!

um beijo

manuela

Mar Arável disse...

Ai dela

. intemporal . disse...

.

. in.vencível .

. espesso o sangue .

.

. e sou tão forte como célere o tempo que passa, sendo asa . brasa .

.

. um beijo .

.

Nilson Barcelli disse...

Eu é que fico com água na boca só de ler a tua poesia.
Brilhante, querida amiga.
Beijos.

Anónimo disse...

E a vida que te dança nas mãos , mãos que soltam palavras que nos exaltam os sentidos. Nós leitores o minimo que podemos esperar e já demora é um livro teu ,que nos aqueça nas noites frias de Inverno e saltite nas nssas mãos qundo o Sol espreitar. Será que temos que esperar muito ?

M.

BRANCAMAR disse...

Lindo poema, musical e feito de tanta vontade de viver.
Beijos
Branca

uminuto disse...

tentamos tantos e conseguimos tão pouco...vale-nos o facto de vivermos enquanto tentamos
um beijo

Fernando Santos (Chana) disse...

Bela poesia...bela imagem...Espectacular....

Quando a tristeza vier ao seu encontro,
Deixe sair dos olhos uma lágrima,
Da boca um sorriso e do coração uma prece,
Pois não são covardes os que choram por amor,
Mas sim aqueles que não amam por medo de chorar…

Cumprimentos

pin gente disse...

que se atreva o tango
não a morte
"esquálida"



beijos