terça-feira, outubro 5

Para sempre, meu amor


Entorno o olhar na imensidão do mar que nos afasta.



Este Paraíso não é o mesmo sem ti.


Nada é o mesmo sem ti.


Nem eu, nem nós nem a brisa que me afastA o cabelo, nem o riso das crianças.


A praia é apenas aReia e água, rochas de um passado em que a minha alegriA era o teu sorriso.





Caem agora rápidas e quentes as lágrimas que teimo em guardar.


Mas os vómitos provocam soluços e é impossível parar a musica que se instala no meu peito, queimada pelo sol da tua memória.





Telefonaste há pouco. O céu ficou mais azul.





De repente uma névoa.




E um Barco à deriva nesta paisagem que vEmos com o mesmo olhar de escutar pássaros.





Nas maNhãs plenaS de família completa.






8 comentários:

Marta Vasil disse...

Roubei os parabéns que econtrei nesta prosa poética e deixo-os aqui para ti.
Bj

OUTONO disse...

Uma nostalgia...colorida..e uma mensagem, que o teu sentir conhece.
Seja da cor..que "choraste", ou da cor que almejo não trouxe...é uma edição ...que apela!

Maria disse...

Parabéns à tua filha. E subscrevo cada palavra do teu texto, se me permitires...

Beijos tantos.

Graça Pires disse...

O amor transforma tudo...
Um belo poema!
beijos.

Anónimo disse...

Extraordinariamente maternal e belo!

Beijos


Et

Mar Arável disse...

Excelente

Bj

Anónimo disse...

E que haja sempre Alegria entre Vós.

Com muito Funáná

Beijos meus

George Sand disse...

Muito bonita a imagem de entornar a imensidão do mar. Gostei muito