terça-feira, novembro 2

Abêcê............AVC........................





invento sorrisos

amenos

despedidos de abraços frágeis


l
á
g
r
i
m
a
s

descuidadas

abandonadas ao vento

aos tropeções no tempo

em que r.a.c.i.o.c.i.o.n.a.r era fácil

o
pensamento

lembrar o momento
voar até ao esquecimento

dormente o lado esquerdo da vida que já não é

aos poucos regresso a mim
e
já não sei quem fui

sou?

e o (a)mar que desagua no meu corpo
quando rio
d.e.v.a.g.a.r

(es)vai-se a memória nas margens da alma
sangue espesso cor de pétalas de paixão

19 comentários:

Anónimo disse...

vou dizer:




brilhante!
brilhante. brilhante!



disse. beijooooooooooooooo.




imf

MZ disse...

Bela comparação...
Sempre a brincar com as palavras que tão bem exprimem
a dor de um amor parado num coração dormente outrora espesso de paixão.

Lindo!

Ana Oliveira disse...

Como a onda na foz...

Nunca somos os mesmos nos regressos

Por isso nos perdemos do que fomos

E é o sangue das rosas que nos aquece.

Um beijo

Sonhadora disse...

Minha querida

Doce e apaixonado o teu poema, adorei.

beijinhos
Sonhadora

Estrela disse...

Só posso dizer uma palavra a respeito desse poema: MARAVILHOSO!!!
Beijos!

su disse...

Ler este porma é como que folhear, assim aos saltos, umas quantas páginas de uma alma que está debruçada a uma janela a ver a vida passar.

Gostei. :)

manuela baptista disse...

um abraço frágil

para que regressem os risos
e todos os sentidos

sentidamente!

manuela

Anónimo disse...

ÉS! E serás SEMPRE!

Beijo meu.

Maria Clarinda disse...

E aqui me tens...vim...passei parte da manhã contigo...e saio feliz...Um beijo de carinho

zaratustra disse...

gostei muito, parabéns

OUTONO disse...

...sem respirar...BELO!

Apenas eu disse...

quando regressamos já não somos as mesmas...
o coração a razão já estão mais próximos...

por isso eu sou tão seca e azeda... invento-me doce mas ainda não consegui inventar mais ninguém depois daquele alguém que me levou o sorriso que a gora sou obrigada a inventar para os outros não o dizerem que eu perdi....

desculpa Ana... este comentário parece um testamento mas saiu-me do coração.
as tuas palavras inspiraram-me...

beijos e obrigada pelo chã aqui no deserto...

Mar Arável disse...

Excelente
sem mais palavras
para não acordar o silêncio

t disse...

Por momentos escuto os murmúrios do mar..

Porta-Sonhos disse...

Porque as palavras são nuas,
porque espesso é o medo,
que sempre se sobrepõem ao entorpecimento,
porque a vida é paixão.

Tuas letras são um alfabeto inteiro.

Um prazer ler-te s.e.m.p.r.e

Bjo.

Anónimo disse...

Mergulho na pacificidade, de me quererem deixar.

..."E, se ali houver algum filho da paz, repousará sobre ele a vossa paz; e, se não, ela voltará para vós." - Jesus. ..."


emaf

zaratustra disse...

gosto. fabuloso

Ambrósio disse...

...beijo

vague disse...

engulo em seco. acontecem. e do lado esquerdo do corpo, da vida.
passado.