terça-feira, novembro 2

Abêcê............AVC........................





invento sorrisos

amenos

despedidos de abraços frágeis


l
á
g
r
i
m
a
s

descuidadas

abandonadas ao vento

aos tropeções no tempo

em que r.a.c.i.o.c.i.o.n.a.r era fácil

o
pensamento

lembrar o momento
voar até ao esquecimento

dormente o lado esquerdo da vida que já não é

aos poucos regresso a mim
e
já não sei quem fui

sou?

e o (a)mar que desagua no meu corpo
quando rio
d.e.v.a.g.a.r

(es)vai-se a memória nas margens da alma
sangue espesso cor de pétalas de paixão

19 comentários:

Anónimo disse...

vou dizer:




brilhante!
brilhante. brilhante!



disse. beijooooooooooooooo.




imf

MZ disse...

Bela comparação...
Sempre a brincar com as palavras que tão bem exprimem
a dor de um amor parado num coração dormente outrora espesso de paixão.

Lindo!

Ana Oliveira disse...

Como a onda na foz...

Nunca somos os mesmos nos regressos

Por isso nos perdemos do que fomos

E é o sangue das rosas que nos aquece.

Um beijo

Sonhadora disse...

Minha querida

Doce e apaixonado o teu poema, adorei.

beijinhos
Sonhadora

Estrela disse...

Só posso dizer uma palavra a respeito desse poema: MARAVILHOSO!!!
Beijos!

su disse...

Ler este porma é como que folhear, assim aos saltos, umas quantas páginas de uma alma que está debruçada a uma janela a ver a vida passar.

Gostei. :)

manuela baptista disse...

um abraço frágil

para que regressem os risos
e todos os sentidos

sentidamente!

manuela

Anónimo disse...

ÉS! E serás SEMPRE!

Beijo meu.

Maria Clarinda disse...

E aqui me tens...vim...passei parte da manhã contigo...e saio feliz...Um beijo de carinho

zaratustra disse...

gostei muito, parabéns

OUTONO disse...

...sem respirar...BELO!

Anónimo disse...

quando regressamos já não somos as mesmas...
o coração a razão já estão mais próximos...

por isso eu sou tão seca e azeda... invento-me doce mas ainda não consegui inventar mais ninguém depois daquele alguém que me levou o sorriso que a gora sou obrigada a inventar para os outros não o dizerem que eu perdi....

desculpa Ana... este comentário parece um testamento mas saiu-me do coração.
as tuas palavras inspiraram-me...

beijos e obrigada pelo chã aqui no deserto...

Mar Arável disse...

Excelente
sem mais palavras
para não acordar o silêncio

t disse...

Por momentos escuto os murmúrios do mar..

Porta-Sonhos disse...

Porque as palavras são nuas,
porque espesso é o medo,
que sempre se sobrepõem ao entorpecimento,
porque a vida é paixão.

Tuas letras são um alfabeto inteiro.

Um prazer ler-te s.e.m.p.r.e

Bjo.

Anónimo disse...

Mergulho na pacificidade, de me quererem deixar.

..."E, se ali houver algum filho da paz, repousará sobre ele a vossa paz; e, se não, ela voltará para vós." - Jesus. ..."


emaf

zaratustra disse...

gosto. fabuloso

Ambrósio disse...

...beijo

vague disse...

engulo em seco. acontecem. e do lado esquerdo do corpo, da vida.
passado.