quinta-feira, março 15

Espelho



Percorro a memória
num novo olhar
que me mira
suplicante
de amor

amo em golfadas de ri(s)o em mar

por vezes até devagar
outras
em constantes sobressaltos

amo em gritos altosde explosão de prazer e suor

amo em pinceladas de luz
musica
cavalo lusitano
chapéu andaluz
trinar de guitarra
viola piano
violeta azul

espelho vitral

(n)o apelo do deserto
o meu corpo em chamas
fogo de peito cansado

amo em espasmos sincronizadosbater de asas
borboletas
aves migratórias

amo e celebro vitórias
amo e amparo lágrimas
amo e invento histórias

amor paixão

por vezes ilusãomágoa
então

rasgo o coração
atravesso os espelhos
com o (teu) amor
do lado oposto no inverso do contrário do avesso.

E permaneço.
Numa canção sem pauta.