terça-feira, dezembro 23

E porque o meu presente de Natal são todos vós...


Deixo-vos o primeiro Postal de Natal, uma vez que não tenho as vossas moradas para vos enviar umas palavras de carinho, assim a todos os que por aqui passam desejos de um Natal Feliz e que 2009 traga o que merecem, para além de Paz, Saúde e Alegria.

E porque sobre o Natal já disse como me sinto este ano em http://mundodasaventuras.blogspot.com/

Espero que a felicidade desta época permaneça para os dias seguintes.

Obrigada pela vossa atenção e amizade.
Um beijo e um pouco de mim.

sexta-feira, dezembro 19

Papel de música



Cabelos nos olhos
lágrimas no chão
a pele seca de tanto Sol
e a água demasiado fria
mas que não arrefece o coração.

Tantos olhares de ontem
tanta dança perdida
de música detestada
e a liberdade livre
livre demais
para ficar presa em mim.

Sonhos infantis
cor do ursinho amarelo
que todas as crianças amam
um respirar fundo
até á resina dos pinheiros...

...um amigo
aqui e além
de olhos castanhos de timidez
e eu
a não conseguir esquecer-te
e a amar-te cada vez mais.

Continuo a correr atrás das borboletas
(de pés molhados na terra fofa)

Pode ser que elas me levem até ti...

Na mão
um chapéu de palha
(de fita azul rebelde)
uns calções sujos,
os pés nus e queimados
algumas lágrimas na camisola...

...os cabelos livres
e
muito vento no olhar...

sábado, dezembro 13

Nine million bicycles...



Pouco a pouco regressa a paz.

Instala-se
a música no peito,
o mar em fogo,
quantas noites por amar,
quantos sonhos por sonhar,
tanto Sol nos cabelos em desalinho,
corpos que se t(r)ocam em
constantes movimentos
paragens
de desejos incontidos,
olhares de tantas cores
arco-íris perfumado em tons anil,
breve anoitecer sem sono
madrugadas tardias
em vésperas de Agosto,
um passeio à beira-mar,
uma mão na minha mão
e no meu peito,
a saudade
pelos gestos ternos que jamais teremos
assim
os olhares de carícias
breves
algumas danças proibidas
a viagem sem regresso
Porto Covo
ilha sem pessegueiro
lábios com sabor a morango
uma nova vontade de viver
tonifica-me os músculos,
esqueço a flacidez
do meu corpo,
ergo-me
num renascer de novos desejos
a memória trai-me,
espero-te em bebedeiras de azul
num tentar esquecer.

Para sempre.

quarta-feira, dezembro 10

Praia secreta

Fotografia de Paulo Lopes



Regresso.
Os pés, o peito e as mãos em ferida.

Regresso.
Estico as pernas, endireito-me,
busco conforto
numa posição em que te possa pensar sem soluços...
A música continua intensa
nos passos de
dança que jamais teremos.

Regresso
em ferida, dividida, desnorteada.
Regresso
ao abraço morno do meu amor de sempre
e para sempre,
meu marido
amigo,
que mesmo sem saber

me segura as lágrimas
e os sonhos,
meu amigo que me ama

mesmo sem me entender.

Regresso.

Deambulo pela floresta em fogo
queimam-se todos os sonhos em cinza

no meu peito
a dor antiga.


Regresso...quando partirei de novo?

quarta-feira, dezembro 3

Polar Rotation

Fotografia de Luís Ferreira



Hoje, sinto que morri.

A alma inerte
nos braços caídos
ao longo do teu corpo
em fuga.

Soltou-se a areia que trazia no regaço
para as flores e plástico que abomino.

Não as quero no meu jazigo de cinzas
ao vento,
quando
as tuas lágrimas
se engasgarem de frio.

Dirás então
em remorso,
que me amaste (de)mais.

Mas já terei partido
com os sonhos que foste destruindo,
cada vez que enganavas a sorte
ao acreditares
que eu permaneceria.

E a anestesia que não faz efeito.