quinta-feira, novembro 13

Despedida

Fotografia de Luís Ferreira


Abro a janela,
entra em mim um pedaço de horizonte
uma árvore livre de Outono..

A música continua num quarto amarelo...
a chuva senta-se comigo junto à lareira
que invento,
num fogo que não sei...

O Sol acentua a confusão,
o cinzento das nuvens
uma flor amarela.

Há alguém no meu mundo
e continuo só...

Um olhar vazio
palavras antigas,
uma sensação estranha
de tédio
-não descoberta-
embora haja a aventura de novas emoções.

O que dói
é a indiferença
que eu não finjo
porque
não sei

não quero
um
não sentir
ternura
um beijo
e o pensamento longe
um abraço sem música

quem sou eu?

Será que alguém me ajuda a permanecer?

Não sei o que quero,
o que sinto,
o que sou-
- alguém que me entenda-
uma ternura
especial
uma lágrima
no mar.

É agora o meu tempo?
ou é Dezembro
porque a neve também cai no deserto?...

Uma lágrima de desespero,
vidros partidos,
uma palavra amiga...
...onde?

Uma guitarra,
outro mundo,
um breve entender.

É urgente a escolha
persiste a confusão,
prisão,
mãos sem vida
numa praia de manhãs claras
um suspiro,
não pensar,
um olhar triste.

Quero partir
isso eu sei
mas há o medo da espera,
do desencontro...

...e da fuga.

domingo, novembro 9

Para sempre

Fotografia de Luís Ferreira

Esgoto-me em melodias breves
num respirar lento de asas quebradas.

Lágrimas secas por sentires proibidos
vais
e
vens
como se eu permanecesse
numa espera
sem hora marcada
tons de azul
numa primavera por inventar.

Desejo-te
em movimentos constantes
suave libertar de emoções loucas
as manhãs em que te penso
os momentos
em que te tenho
fugazes
efémeros
perdidos...

...depois
a realidade deixa-me as mãos vazias de ti.

Regresso ao meu mundo
onde me isolo dos outros
para que o segredo se mantenha
e
a
magia...

Se soubesses o que despertas em mim
talvez sentisses,
talvez gostasses,
talvez ficasses.

Se soubesses
que só existes TU

mesmo quando parece haver outros

mas és tu e sempre tu
em que me vejo e revejo
e
invento
em manhã cálidas de dias de inverno
tu
e sempre tu
com quem quero fazer tudo

dançar
rir
passear
chorar
comer
ler
amar
viajar
existir
inventar
sonhar
estar
VIVER!

Para sempre.